terça-feira, novembro 26, 2013

mississippi

Every step of the way we walk the line
Your days are numbered, so are mine
Time is pilin’ up, we struggle and we scrape
We’re all boxed in, nowhere to escape
City’s just a jungle; more games to play
Trapped in the heart of it, tryin' to get away
I was raised in the country, I been workin’ in the town
I been in trouble ever since I set my suitcase down
Got nothin' for you, I had nothin' before
Don’t even have anything for myself anymore
Sky full of fire, pain pourin’ down
Nothing you can sell me, I’ll see you around
All my powers of expression and thoughts so sublime
Could never do you justice in reason or rhyme
Only one thing I did wrong
Stayed in Mississippi a day too long
Well, the devil’s in the alley, mule’s in the stall
Say anything you wanna, I have heard it all
I was thinkin’ 'bout the things that Rosie said
I was dreaming I was sleepin' in Rosie’s bed
Walkin' through the leaves, falling from the trees
Feelin' like a stranger nobody sees
So many things that we never will undo
I know you’re sorry, I’m sorry too
Some people will offer you their hand and some won’t
Last night I knew you, tonight I don’t
I need somethin’ strong to distract my mind
I’m gonna look at you ’til my eyes go blind
Well I got here followin' the southern star
I crossed that river just to be where you are
Only one thing I did wrong
Stayed in Mississippi a day too long
Well my ship’s been split to splinters and it’s sinkin' fast
I’m drownin’ in the poison, got no future, got no past
But my heart is not weary, it’s light and it’s free
I’ve got nothin’ but affection for all those who’ve sailed with me
Everybody movin’ if they ain’t already there
Everybody got to move somewhere
Stick with me baby, stick with me anyhow
Things should start to get interestin' right about now
My clothes are wet, tight on my skin
Not as tight as the corner that I painted myself in
I know that fortune is waitin’ to be kind
So give me your hand and say you’ll be mine
Well, the emptiness is endless, cold as the clay
You can always come back, but you can’t come back all the way
Only one thing I did wrong
Stayed in Mississippi a day too long

segunda-feira, outubro 28, 2013

Dire Straits - Sultans Of Swing (Alchemy Live)

atualizado às 21h29

Aos 71 anos, morre guitarrista Lou Reed, líder do Velvet Underground

Lou Reed passou por um transplante de fígado Foto: Getty Images
Lou Reed passou por um transplante de fígado
Foto: Getty Images
Morreu neste domingo (27), aos 71 anos, o guitarrista e compositor norte-americano Lou Reed, de acordo com informações da revista Rolling Stone. A causa da morte ainda não foi divulgada, mas o músico se submeteu a um transplante de fígado em maio deste ano.


Em março, Laurie Anderson, mulher do músico, falou sobre a condição de saúde do marido. "É tão sério quanto parece. Ele estava morrendo. Você não quer isso como diversão", afirmou.

"Não acho que ele vá se recuperar totalmente disso, mas certamente ele estará fazendo as coisas dele em breve", completou.

Vida e carreira
Lewis Allan Reed nasceu no dia 2 de Março de 1942 no bairro do Brooklyn em Nova York mas cresceu na região de Long Island. De família de origem judaica, Reed aprendeu a tocar guitarra ouvindo rádio ainda na década de 1950 quando estava no colegial. Foi nessa época que ele sofreu uma de suas experiência mais traumáticas e que seria tema de canções ao longo de sua carreira: bissexual assumido, os pais de Lou Reed submeteram o filho a um tratamento de choque para tentar supostamente curá-lo.



Após deixar o colégio e casa do pais, Reed foi para a Universidade de Syracuse e cursou jornalismo. Nesta época ele passou a apresentar um programa de rádio que tocava predomionantemente  doo wop, rhythm and blues e jazz. O gosto por esse estilo musical definiria muitas das técnicas de guitarra desenvolvidas por Reed ao longo de sua vida. Em 1964 ele se formou e logo iniciou sua carreira artística.

The Velvet Underground
Após um curto período trabalhando como compositor da Pickwick Records, uma pequena gravadora de Nova York, Reed foi apresentado a John Cale, um músico galês que acabara de se mudar para Manhattan com a intenção de aprender música clássica. Cale ficou impressionado com uma música composta por Reed em que ele tinha afinado todas as cordas da guitarra na mesma nota.

A amizade com Cale fez com que dividissem uma casa em Manhattan e inciassem um processo criativo que seria responsável por uma das bandas mais importates para a origem do punk rock nos Estados Unidos: o Velvet Underground. Ao lado do guitarrista Sterling Morrison e da baterista Maureen Tucker, Reed e Cale montaram um das mais instáveis e influentes bandas de rock de todos os tempos.

O grupo não demorou a chamar a atenção do artista plástico Andy Warhol que quase imediatamente colocou o Velvet Underground como uma das atrações do  Exploding Plastic Inevitable, uma série de eventos multimídia organizados pelo artista de origem polonesa. O contato com Warhol deu novas dimensões à criatividade de Reed que começou cada vez mais mostrar um perfil artístico multifacetado. O contato, entretanto, nem sempre foi harmônico: para o disco de estreia, Warhol insistiu que a banda gravasse com a ex-modelo alemã e cantora Nico. Para expressar sua objeção a banda batizou o disco de The Velvet Underground & Nico para expressar que a vocalista era apenas uma convidada.

Apesar da resistência, Reed escreveu a maioria das canções do álbum pensando na voz de Nico e os dois chegaram a ter um breve relacionamento amoroso (mais tarde ela teria um outro pequeno affair com Cale). O disco, cuja capa ficou famosa por trazer uma obra de Warhol que representa uma banana, estreou apenas na 171ª posição da sparadas. Hoje, porém, o disco é considerado um dos registros mais importantes da música. A revista Rolling Stone classificou o álbum como o 13º mais influente do rock.

As composições completamente vanguardistas para os padrões da época, tratando de temas como drogas (I'm Waiting For The Man e Heroin), sadomasoquismo (Venus In Furs), prostitutas (There She Goes Again), e até ocultismo (The Black Angel's Death Song) contribuiram para que as vendas do LP fossem pífias. Já no ano seguinte, a banda lançou White Light/White Heat. Após esse álbum, mais barulhento, John Cale, responsável pelos experimentalismos musicais, saiu da banda, que passou a ter Lou Reed, de maior apelo artístico e poético, como único líder.

No ano seguinte, veio o 3º álbum, chamado simplesmente de The Velvet Underground que explora um som mais acústico e introspectivo que trouxe faixas como Candy Says, What Goes On, Beginning To See The Light. O derradeiro trabalho com Lou Reed ainda na banda foi Loaded, que conta com três das músicas mais famosas do Velvet Uunderground: Who Loves The Sun, Sweet Jane e Rock and Roll.

Carreira solo
Lou Reed deixou a banda logo em seguida e só voltaria a encontrar seus ex-companheiros de banda em 1993 quando o Velvet Underground se reuniou para a gravação de um disco ao vivo. A saída do Velvet Underground quase significou o abandono da vida artística. Logo após deixar a banda, Reed passou a trabalhar na empresa de contabilidade de seu pai.

Entretanto, um ano depois Reed assinou um contrato com a RCA e embarcou para Londres onde gravou seu primeiro disco solo. Apesar da pequena receptividade, ainda que nomes como  Steve Howe e Rick Wakeman tenham participado das gravações, a ida a Londres seria determinante para a carreira de Reed.

Na capital britânica ele se encontrou com Danid Bowie e Mick Ronson. A dupla produziu um segundo álbum solo de Reed em 1972. Com o lançamento de Transformers, Reed foi apresentado a um novo público no Reino Unido com a faixa que seria a de maior sucesso em toda a sua carreira solo: Walk on the Wild Side é uma bem humorada e afetuosa homenagem a algumas das pessoas que passaram pela Factory, o QG criativo do Velvet Underground.

Ainda que Transformers tenha mostrado o potencial comercial da música de Reed, uma discussão entre ele e Bowie encerrou a parceria. Com isso, Lou Reed se voltaria cada vez mais para o lado mais sombrio da industria musical e pautaria sua carreira nessa linha ao longo das décadas de 70 e 80.

A reconciliação com Bowie não demorou, mas a dupla só voltou a trabalhar junta no final da década de 90 no show de 50 anos do camaleão britânico no Madison Square Garden em Nova York no ano de 1997. A parceria em estúdio seria retomada apenas em 2003 quando Reed lançou o álbum The Raven.

A partir do ano 2000, Reed passou a fazer uma série de participações e parcerias. Foi assim que ele cantou a faixa Some Kind Of Nature no terceiro álbum do Gorillaz, Plastic Beach. Mas a colaboração mais noticiada aconteceu há apenas dois anos. Em novembro de 2011 foi lançado o disco Lulu, uma parceria entre Metallica e Lou Reed baseada em duas peças do alemão Frank Wedekind.

Em sua última turnê, que passou pela Europa em 2012, Lou Reed fazia um apanhado de sua trajetória do início da carreira até o lançamento do álbum com o Metallica. Não à toa a turnê se chamava From VU to LULU.

quinta-feira, julho 04, 2013

Ma Companhia no UK Pub é Hoje à Noite

Ma Companhia Toca hoje a noite no UK Pub a partir de 00:00h que fica em Boa Viagem na rua R. Francisco da Cunha, 165 - Boa Viagem, Recife - PE, 51020-050
Telefone:(81) 3465-1088
Bora simbora,,,
xandinho...